5 Minutos de Leitura

28 11 2014

 

Segunda feira, 1 de Dezembro de 2014

 

1 de dezembro – Dia Mundial da SIDA e da Restauração da Independência

NYHQ2013-1031

Estima-se que 1.1 milhões de infeções por VIH, em crianças menores de 15 anos e em países de baixo e médio rendimento, tenham sido evitadas entre 2005 e 2013.

 

Os dados globais foram revelados esta sexta-feira pela UNICEF, representam uma diminuição de mais de 50% de novos casos.

O “extraordinário progresso”, segundo um comunicado de imprensa enviado às redações, é visto como o resultado do acesso de milhões de mulheres — grávidas e a viver com VIH — a serviços de Prevenção da Transmissão de Mãe para Filho (…). No entanto, o objetivo global, cuja meta apon

ta para a redução de novas infeções em 90% entre 2009 e 2015, permanece fora do alcance. (…)

Já os adolescentes, entre os 10 e os 19 anos, são o único grupo no qual as mortes relacionadas com a SIDA não estão a baixar — nas restantes faixas etárias verificou-se um declínio de quase 40% entre 2005 e 2013. Mais, contavam-se 2.1 milhões de adolescentes a viver com VIH em 2013, 80% deles na África subsariana, sendo que muitos desconhecem serem portadores do vírus, e as mulheres são as mais afetadas. (…)

A SIDA continua a ser a principal causa de morte entre adolescentes em África, e a segunda causa em todo o mundo.

Ana Cristina MarquesO Observador

 

images

A Restauração da Independência é a designação dada ao golpe de estado revolucionário ocorrido a 1 de dezembro de 1640. Chefiada por um grupo designado como “Os Quarenta Conjurados”, a revolta dos portugueses alastrou-se por todo o Reino, contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia Filipina castelhana, culminando com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa – a casa de Bragança – com a aclamação de D. João IV.

Esse dia, designado como Primeiro de Dezembro ou Dia da Restauração, é comemorado anualmente em Portugal com muita pompa e circunstância ainda no tempo da monarquia constitucional. Por isso, uma das primeiras decisões da República Portuguesa em 1910 foi passá-lo a feriado nacional como medida popular e patriótica. No entanto, essa decisão foi revogada pelo XIX Governo Constitucional, de Passos Coelho, passando o feriado a comemorar-se em dia não útil a partir de 2012. O objetivo da medida, conforme declaração do Governo, era o de “acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o País atravessa”. Esta decisão será submetida a reavaliação em 2017.

 

Texto extraído da Wikipédia

Textos selecionados e adaptados pela BE

 

 





5 Minutos de Leitura

27 11 2014

Sexta feira, 28 de novembro de 2014

imagm 5ml

O “pescoço do SMS” está a tornar-se epidémico e poderá dar cabo da sua coluna.

Ficar com a cabeça inclinada durante horas a fio a olhar para o smartphone provoca diversos problemas físicos.

A cabeça humana pesa cerca de cinco quilos e meio. Mas à medida que dobramos o pescoço para a frente e para baixo, a carga que se exerce ao nível das vértebras cervicais começa a aumentar. Aos 15 graus de inclinação, corresponde a 12 quilos; aos 30 graus, a 18 quilos; aos 45 graus, a 22 quilos; e aos 60 graus, a 27 quilos. Esse é o preço que pagamos por olhar fixamente para um smartphone – algo que milhões de pessoas fazem durante horas a fio todos os dias – conclui um estudo da autoria do médico norte-americano Kenneth Hansraj, da clínica New York Spine Surgery and Rehabilitation Medicine, publicado na revista Surgical Technology International. Com o tempo, dizem os especialistas, esta postura incorrecta, por vezes chamada em inglês “text neck” (pescoço do SMS), pode conduzir a um desgaste precoce ou uma degenerescência da coluna vertebral – e até precisar de uma intervenção cirúrgica. “Trata-se de uma epidemia – ou, pelo menos de algo muito comum”, disse Hansraj ao jornal The Washington Post. “Basta olharmos à nossa volta, toda gente tem a cabeça para baixo.” Não consegue ter uma ideia do que representam 27 quilos? Então imagine-se a transportar uma criança de oito anos à volta do pescoço durante várias horas por dia. Os utilizadores de smartphones passam em média duas a quatro horas por dia encurvados sobre estes aparelhos – a ler emails, a enviar SMS ou a consultar sites de redes sociais. Isso corresponde a 700 a 1400 horas por ano a exercer um stress sobre a coluna vertebral, segundo o estudo. E os alunos do ensino secundário poderão ser os mais prejudicados. É possível que passem até 5000 horas adicionais nessa posição, diz Hansraj. “O problema é mesmo grave no que respeita aos jovens”, acrescenta. “Com este nível de stress sobre o pescoço, poderemos começar a ver pessoas novas a precisarem de tratamentos para a coluna. Gostaria mesmo de ver os pais a terem mais atenção a isso.” Há anos que os peritos médicos andam a alertar as pessoas. Alguns dizem que por cada dois centímetros e meio de inclinação adicional da cabeça para a frente, a pressão sobre a coluna duplica. Tom DiAngelis, presidente da secção do sector privado da Associação Americana de Fisioterapia, disse no ano passado à cadeia televisiva CNN que o efeito é semelhante a dobrar um dedo completamente para trás e mantê-lo nessa posição durante cerca de uma hora. “À medida que os tecidos vão sendo esticados durante longos períodos de tempo, começam a doer e a ficar inflamados”, salientou. A postura também pode causar distensões musculares, nevralgias, hérnias discais e, a prazo, pode mesmo dar cabo da curvatura natural do pescoço. (…) As posturas incorrectas podem causar ainda outros problemas. Os especialistas dizem que podem reduzir a capacidade pulmonar em até 30%. Também têm sido associadas a dores de cabeça e a problemas neurológicos, à depressão e a doenças cardiovasculares. “Embora seja quase impossível evitar as tecnologias que causam estes problemas, as pessoas deveriam esforçar-se por olhar para os seus smartphones sem dobrar a coluna e evitar passar horas por dia dobrados por cima deles”, segundo o estudo. Algumas dicas aos utilizadores de smartphones para evitarem as dores: Olhe para o seu aparelho com os olhos, não é preciso dobrar o pescoço. Exercícios: vire várias vezes a cabeça da esquerda para a direita. Faça força com a cabeça contra as mãos, primeiro para a frente e depois para trás. Coloque-se na ombreira de uma porta com os braços esticados e empurre o peito para a frente de forma a reforçar os músculos “da boa postura” “Adoro tecnologia. Não estou a denegri-la de maneira alguma”, diz o médico. “A minha mensagem é apenas: tome consciência da posição da sua cabeça no espaço. Continue a desfrutar do seu smartphone e da tecnologia – mas, simplesmente, certifique-se de que tem a cabeça erguida.”

 

Artigo adaptado – LINDSEY BEVER

 

Texto selecionado pelo professor Carlos Vaz





5 Minutos de Leitura

26 11 2014

Quinta feira, 27 de novembro de 2014

images 

Cacau, o super alimento 

Rico e complexo, conta com mais de 300 componentes diferentes.

Derivado da palavra azteca cacahuat, Cacao ou Theobroma, em latim, significa “alimento dos Deuses”, tendo desempenhado um papel de excelência em muitas culturas da América do Sul. Recuando um pouco no tempo … os Maias, como simbologia de conexão máxima entre o chocolate e o romance, utilizavam o cacau para preparar uma bebida ritual em cerimónias de noivado e casamento. O “Chocolatl”, a bebida mais cobiçada do Novo Mundo, foi introduzido no mercado pelos espanhóis, permanecendo a sua receita em segredo durante um século. Após 100 anos, o mercado do chocolate expandiu-se para outros países da Europa tendo sido aberta a primeira “casa de chocolate” em 1700, em Londres.

Atualmente, desde o bolo de chocolate Alemão e o cacau Suíço, as pessoas de todo o mundo degustam o chocolate nas suas mais variadas versões, de milhares de formas diferentes, sendo consumidos mais de 3 milhões de grãos por ano.

Produtos, composição e benefícios

Como resultado do processamento pode obter-se cacau em pó e a manteiga de cacau. Por combinação e adição de açúcar obtém-se o tão aclamado chocolate, sendo este o produto mais conhecido e universalmente apreciado.

O cacau é um alimento complexo que inclui mais de 300 componentes diferentes pelo que tem sido utilizado no tratamento da fadiga, emagrecimento, febre, angina e dor no coração, anemia, falta de ar e nas queixas renais e intestinais. Contudo, cientificamente ainda não existem dados que comprovem a sua eficácia na prevenção ou tratamento destes problemas.

Nutricionalmente, o cacau caracteriza-se pela sua riqueza em polifenóis. Estes representam as substâncias químicas presentes no cacau que devido à sua ação antioxidante, contribuem para o papel protetor no que respeita a doenças cardiovasculares. O cacau em pó, quando puro, é muito rico em lípidos (principalmente saturados), proteínas e potássio, apresentado ainda quantidades importantes de ferro, cálcio e magnésio.

O chocolate em pó, sendo um derivado do cacau com adição de açúcar, tem menor teor lipídico e proteico, mas maior teor de hidratos de carbono simples (conhecidos como açúcares).

 

Texto de Marta Mourão, nutricionista

Texto selecionado pela BE





5 Minutos de Leitura

25 11 2014

5 Minutos de Leitura

Quarta feira, 26 de Novembro de 2014

 

Sem Título

No âmbito do Projeto de Educação para a Saúde da Ancorensis, entrará em funcionamento na próxima 5ª feira, o Gabinete de Informação e Apoio aos Alunos (GIAA).

O GIAA atenderá diariamente os alunos da Ancorensis mediante marcação prévia ou conforme o calendário afixado na porta do referido Gabinete, junto à saída lateral da escola (ao lado da papelaria).

As marcações poderão ser feitas com os Professores Marcelo Pereira ou Susana Leão, Gabinete de Psicologia e Orientação Escolar com a Drª Noélia Silva ou no CQEP com a Drª Carla Oliveira.

Nas salas de aula estarão afixados panfletos onde poderão conhecer melhor o GIAA.

O GIAA destina-se ao esclarecimento de dúvidas e curiosidades na área da saúde, e ao encaminhamento de situações diagnosticadas para técnicos ou serviços especializados tendo como objetivos:

– Reconhecer os serviços de saúde como um recurso ao seu alcance.

– Obter resposta em meio escolar que permita uma tomada de decisão, com conhecimento e responsabilidade no âmbito da saúde.

– Dinamizar este espaço/gabinete com criatividade.

Sempre que é necessário algum esclarecimento de caráter urgente, fora dos períodos planeados, articula com os (as) professores (as), com as psicólogas e/ou contacta a enfermeira Carla Viseu, telefonicamente (258719300).

A Unidade de Saúde Local disponibiliza consulta de enfermagem e médica, às sextas-feiras das 15:00 às 16:00, no Centro de Saúde em Caminha. Solicita orientação para a Unidade de Cuidados na Comunidade.

Sendo um espaço dirigido aos Jovens, todos os contributos são importantes.

Compareçam, o GIAA é para os alunos!

 

O Coordenador do Projeto de Educação para a Saúde

Prof. Marcelo Pereira





5 Minutos de Leitura

24 11 2014

Terça feira, 25 de novembro de 2014

Fermín%2BSo..+(2)

Dia Internacional para Eliminação da Violência contra a Mulher

O Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres celebra-se todos os anos a 25 de novembro. Esta data visa alertar a sociedade para os vários casos de violência contra as mulheres, nomeadamente casos de abuso ou assédio sexual, maus tratos físicos e psicológicos. Em 1999, as Nações Unidas (ONU) designaram oficialmente o dia 25 de novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Desde 1999 que se tem celebrado este dia pelo mundo. A data de 25 de novembro de 1960 ficou conhecida mundialmente pelo ato de violência cometido contra mulheres. As irmãs Dominicanas Mirabal Patrícia, Minerva e Tereza, conhecidas como “Las Mariposas”, que lutavam por soluções para problemas sociais de seu país foram perseguidas, diversas vezes presas até serem brutalmente assassinadas a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo. A partir daí, o 25 de novembro passa a ser uma data de grande importância, principalmente para aquelas que sofrem ou já sofreram violência. A violência ocorre nos espaços públicos e privados e não é só agressão física é também psicológica e moral. Agressões verbais reduzem a auto-estima e fazem as mulheres sentirem-se desprezíveis.  Causam danos à saúde: geram stress e doenças crónicas. A violência interfere na vida, no exercício da cidadania das mulheres e no desenvolvimento da sociedade na sua diversidade. O dia 25 de Novembro, “Dia da Não Violência Contra a Mulher”, foi decidido por organizações de mulheres de todo o mundo reunidas em Bogotá, na Colômbia, em 1981 em homenagem às irmãs, que responderam com a sua dignidade à violência, não somente contra a mulher, mas contra todo um povo. Em 1999, a Assembleia Geral da ONU proclama essa data como o ”Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher”. A violência contra a mulher passa a ser um problema mundial que não distingue cor, classe social nem raça: é maléfica, absurda e injustificável!! A violência contra as mulheres é uma questão social e de saúde pública, pois: revela formas cruéis e perversas de discriminação de género; desrespeita a cidadania e os direitos humanos; destrói sonhos e viola a dignidade.
Este 25 de novembro será um dia importante para manifestar, lembrar, protestar e mobilizar a sociedade e o estado contra a violência à mulher.

85% das vítimas de violência doméstica em Portugal são mulheres. Em média, uma em cada três mulheres é vítima de violência doméstica.

 

Texto selecionado pela BE
 





5 Minutos de Leitura

21 11 2014

Segunda feira, 24 de Novembro de 2014

scientific08

Dia mundial da cultura científica

 

Hoje, 24 de novembro, é o dia mundial da Cultura Científica. Portanto, nada como uma frase genial de um cientista extraordinário para começar bem o dia.

Albert Einstein: “Existem duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens, mas não estou certo sobre o Universo.”

Já que hoje se fala de ciência, é importante que se saiba que os cientistas também sabem dançar.

As conferências “Dancing in the brain” (Dançando no cérebro), que exploram a ligação entre a dança e as neurociências ocorreram no sábado dia 5 de abril de 2014, na Fundação Champalimaud, em Lisboa, e foram promovidas por um vídeo onde os cientistas da instituição surgem a dançar. Estes dançaram ao som de “Happy“, do cantor americano Pharrell Williams, num vídeo de promoção de uma série de conferências sobre o que acontece ao funcionamento do nosso cérebro quando dançamos ou vemos os outros dançar. O vídeo foi realizado nas instalações da Fundação Champalimaud.

 

Para comprovar vejam o vídeo.

http://expresso.sapo.pt/os-cientistas-tambem-sabem-dancar=f864220

 

 Texto adaptado de: http://expresso.sapo.pt/

 

Texto selecionado pela prof. Susana Leão





5 Minutos de Leitura

20 11 2014

Sexta feira, 21 de Novembro de 2014

 

 diabetes

13% da População Portuguesa Tem Diabetes

 

A diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta diz-se que o doente está com hiperglicemia.

Existem dois tipos de diabetes: Tipo 1 e Tipo 2

  • Diabetes mellitus tipo 1 – é caracterizado por uma ausência de insulina, uma vez que os indivíduos não têm capacidade para a produzir. Pode afetar pessoas de várias idades, mas geralmente ocorre em crianças ou adultos jovens.
  • Diabetes mellitus tipo 2 – é caracterizado pela produção insuficiente de insulina e/ou pela incapacidade da insulina em atuar a nível hepático e muscular, fazendo com que as células não consigam captar a glicose circulante. Esta resistência à insulina deve-se a vários fatores, dos quais o excesso de peso é um exemplo.

No relatório anual do observatório nacional da diabetes (factos e números 2014), apresentado dia 04 de Novembro  na Escola da Diabetes da APDP foram divulgados os números relativos à diabetes em Portugal. A prevalência da diabetes em 2013 foi de 13%, sendo que destes 5,7%  dos portugueses não sabem que têm diabetes.

A diabetes nos homens (15,6%) é muito maior que nas mulheres (10,7%). A maioria das pessoas com diabetes tem idades compreendidas entre os 60 e os 79 anos.

A Hiperglicemia Intermédia (Pré-diabetes), em 2013, atinge os 27,0% da população portuguesa entre 20-79 anos (2,1 milhões de indivíduos).

Assim cerca de 40% da população têm diabetes ou pré-diabetes, o que corresponde a um valor de cerca de 3,1 milhões de pessoas entre os 20 e os 79 anos. São diagnosticados por dia cerca de 160 novos casos de diabetes.

 

Texto adaptado por Beatriz Cacais 12ºS

Texto selecionado pelo Prof. Marcelo Pereira