5 Minutos de Leitura

30 09 2014

 

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

 images

 

 A Importância da Música

 

A música é reconhecida por muitos pesquisadores como uma espécie de modalidade que desenvolve a mente humana e promove o equilíbrio. Para além de proporcionar um estado agradável de bem estar, facilita a concentração e o desenvolvimento do raciocínio, especialmente em questões voltadas para o pensamento abstrato e filosófico.

No entanto, enquanto uns procuram a música como uma profissão, outros procuram-na como um refúgio. Muitos, até aprendem música como terapia, pois sabem e percebem a paz que esta lhes proporciona, trazendo à memória os bons momentos passados na companhia dos amigos, família, numa festa ou até mesmo no templo quando louvam a Deus.
A verdade é que a música altera o estado de espírito. O corpo reage às vibrações dos sons e são despertadas emoções que interferem no funcionamento do organismo. Quando um músico executa uma peça musical com os seus próprios dedos, é assoberbado por uma sensação de realização, que desencadeia um “prazer cerebral” e que, consequentemente, aumenta  a sua auto-estima.

Desde 1975 que o International Music Council, organização fundada pela UNESCO, comemora o dia 1 de outubro como o Dia Mundial da Música, atribuindo-lhe um novo significado. Objetivo: levar música de todo o tipo a todo o tipo de pessoas, dentro dos ideais de paz e respeito.

 

Texto elaborado pela  BE





5 Minutos de Leitura

29 09 2014

Terça-feira, 30 de setembro de 2014

mandamentos da terra

Mandamentos da Terra

1. Eu sou a única Terra à tua disposição. Não terás outra além de mim.
2. Não pronuncies o meu nome em vão. Não preciso de palavreado, mas de cuidado.
3. Dá-me descanso. Ao ritmo com que me exploras, os meus recursos esgotam-se.
4. Respeita-me como tua mãe. De mim nasces, te alimentas e eu acolherei o teu corpo.
5. Não me mates a vida. Evita o que me deteriora. Opta por energias limpas e sustentáveis.
6. Respeita a virgindade dos meus habitats e ecossistemas.
7. Não saqueies os meus bens. Renuncia aos luxos conseguidos à custa do meu sacrifício. Pensa nas próximas gerações.
8. Não mintas a meu respeito. Não digas que sou tua propriedade.
9. Não traias o meu amor por ti unindo-te ao capital. O dinheiro não te garante a vida se acabares comigo.
10. Não te deixes fascinar pela ganância. Vive a sobriedade, a humildade e a generosidade.

Texto da revista Audácia

Texto selecionado pela BE





5 Minutos de Leitura

26 09 2014

Segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

images 

A matemática e o número que calças

Relação entre o número que calças e o tamanho do pé

Muitas vezes não entendemos os motivos de estudar matemática ou quando vamos usar uma determinada parte do conteúdo e, por isso, questionamos: onde é realmente aplicada a matemática?

Inúmeros são os exemplos e situações onde podemos ver onde utilizamos a matemática. Desde o momento em que acordamos até a hora de dormir, estamos sempre a recorrer a essa ciência. Quando, ao levantar pela manhã para ir à escola ou fazer qualquer atividade, dizemos “só mais cinco minutinhos”, intuitivamente estamos a realizar cálculos matemáticos para averiguar se esses preciosos minutos de sono não ocasionarão um atraso. A tecnologia não estaria tão avançada sem o fantástico auxílio da matemática. Do mais simples ato até à mais sofisticada empregabilidade, a matemática está sempre presente no nosso quotidiano, basta que analisemos as situações que vivenciamos.

Por mais inimaginável que possa parecer, o número que calças também está relacionado com a matemática. Existe uma fórmula que relaciona o número que calças e o tamanho do pé em centímetros.

Vejamos:

Sem Título

 

S: é o número do sapato. p: é o comprimento do pé em centímetros.

Assim, se o teu pé medir 20 cm, o número do teu sapato será:

Sem Título

 

Faz a medição do teu pé e aplica na fórmula acima e verifica se funciona também. Bons cálculos.

 

Retirado do Profº Fernando Lopes

 

 

Texto selecionado pelo Grupo de Matemática





5 Minutos de Leitura

25 09 2014

Sexta-feira, 26 de setembro de 2014

images

Bom dia Europeu das Línguas!

O respeito pela diversidade linguística e cultural está consagrado na Carta Europeia dos Direitos Fundamentais, adotada pelos dirigentes da União Europeia em 2000 e a ideia da comemoração deste dia foi lançada pelo Conselho da Europa por ocasião do Ano Europeu das Línguas em 2001 com o objetivo de:

– Chamar a atenção do público sobre a importância da aprendizagem das línguas e da sua diversificação (desenvolvimento do plurilinguismo).

– Sensibilizar os cidadãos para a existência e para o valor de todas as línguas faladas na Europa.

– Manter e favorecer a rica diversidade linguística da Europa.

– Favorecer a aprendizagem das línguas ao longo da vida a fim de responder às transformações económicas, sociais e culturais na Europa, contribuindo igualmente para a realização pessoal.

As competências linguísticas são essenciais para garantir a equidade e a integração. Na atual conjuntura de crescente mobilidade, globalização da economia e tendências económicas em constante mudança, é mais óbvia do que nunca a necessidade de aprender línguas e desenvolver uma competência plurilingue e intercultural.

A União Europeia, enquanto organização, trabalha atualmente em 20 línguas oficiais: alemão, checo, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, estónio, finlandês, francês, grego, húngaro, inglês, italiano, letão, lituano, maltês, neerlandês, polaco, português e sueco. Contudo, a Comissão Europeia utiliza, no dia-a-dia, apenas três línguas de trabalho: o inglês, o francês e o alemão. Os projetos de documentos políticos e legislativos são elaborados numa ou mais destas línguas. É apenas na fase final que os textos são traduzidos para as línguas oficiais.

Para já, ficam estas mensagens:

– Toda a gente pode aprender uma nova língua, nunca é demasiado tarde ou demasiado cedo.

– Aprender uma língua estrangeira constitui um desafio; ajuda a abrir portas.

– Sem multilinguismo não haverá Europa.

Não desperdices a oportunidade de aprender línguas!

 

Para pores à prova os teus conhecimentos clica aqui

 

http://cvc.instituto-camoes.pt/diaeuropeulinguas/2004/diaeuropeulinguas.HTML

 

Texto adaptado do site: http://www.prof2000.pt/users/jdsa03/olho/0405/1p04/linguas.htm

 

 

Texto selecionado pela BE





5 Minutos de Leitura

24 09 2014

Quinta-feira, 25 de setembro de 2014

sem nome 

Dia Mundial do Turismo 2014 – “Turismo e Desenvolvimento Comunitário”

 

 

Dia Mundial do Turismo celebra-se anualmente a 27 de setembro e foi estabelecido pela OMT (Organização Mundial de Turismo) em Torremolinos, Espanha, em setembro de  1979.

Este dia visa mostrar a importância do turismo e do seu valor cultural, económico, político e social.

Considerado um dos maiores setores económicos do mundo, o turismo assume-se de importância vital para a economia de muitos países, que têm neste setor um elemento essencial para o crescimento e desenvolvimento económico. Sendo um setor que regista elevados índices de crescimento, o turismo não só apresenta benefícios económicos, como assume importância vital na promoção da cultura, língua e costumes de um país, povo ou população.

O Dia Mundial do Turismo, 27 de Setembro, que este ano é celebrado pela OMT na cidade mexicana de Guadalajara, pretende enfatizar o potencial do turismo na criação de oportunidades para as comunidades e sublinhar em simultâneo o papel que o envolvimento da comunidade tem no desenvolvimento sustentável do turismo.

“De cada vez que viajamos, ao usar um transporte local num destino ou ao comprar produtos de um mercado local, estamos a contribuir para uma extensa cadeia de valor que cria postos de trabalho, fornece meios de subsistência, capacita comunidades locais e traz novas oportunidades para um futuro melhor”, sublinha o secretário-geral da OMT, Taleb Rifai, citado em comunicado.

“O Turismo só pode prosperar se envolver a população local contribuindo para valores sociais como a participação, educação e governação local reforçada”, afirma Taleb Rifai, acrescentando que, ao mesmo tempo, “não pode haver desenvolvimento turístico real se esse desenvolvimento prejudicar de alguma forma os valores e a cultura das comunidades anfitriãs ou se os benefícios sócio-económicos gerados pelo sector do turismo não chegarem ao nível da comunidade”.

Texto extraído do site  http://www.presstur.com

 

 

Texto selecionado pela Prof. Luísa Alves

 





5 Minutos de Leitura

23 09 2014

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

 

Grandes_Livros_Episodio_2_Peregrinacao_de_Fernao_Mendes_Pinto_1

Fernão Mendes Pinto

 

Filho de uma família pobre de Montemor-o-Velho, partiu muito novo para o Oriente. Durante 21 anos navegou entre a Índia, a Insulíndia, China e Japão. Sobreviveu a todas as adversidades, enriqueceu, regressou a Portugal já velho e escreveu um livro fabuloso a que deu o título Peregrinação. Nesse livro relata as suas aventuras, descreve com minúcia locais que visitou, povos que conheceu. Deixou registado que foi feito 13 vezes prisioneiro e vendido 17 vezes como escravo. A Peregrinação teve sucesso imediato. Traduzida em várias línguas, tornou-se um verdadeiro best-seller e ainda hoje é uma obra que se lê com prazer.

 

Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Excerto do livro Missão Impossível

Texto selecionado pela BE

 





5 Minutos de Leitura

22 09 2014

Terça-feira, 23 de setembro de 2014

images (4)

 

No meu sangue há poesia

Tempos idos, quem diria…

que no meu sangue corria

sangue do meu coração

composto de poesia!

E o sangue, principalmente,

que é a vida da gente,

feito glóbulos, plasma,

onde correm sentimentos,

plaquetas e coisas mais!…

Tantos são os elementos que,

se bem analisado…

tantos são! – Até se pasma!

…ácidos gordos totais,

carbono, cálcio, minerais,

colesterol, bilirrubina

ferro e creatinita

glucose, adrenalina,

tantas coisas…tantas mais!…

– Quem alguma vez diria

que o composto do meu sangue

tem muito de poesia!?

Sem ela, não viveria…

porque no meu coração

mora a saudade, o amor,

como se fosse alquimia…

Tal como diz Paracelsus…

o bálsamo p’ra toda a dor

da química e da medicina

que corre pelos meus versos!

No meu sangue corre o amor…

Corre muito, em demasia;

em versos soltos, sem rima,

no meu sangue existe amor.

No meu sangue… há poesia!

 Fernando Reis Costa

Texto selecionado pela encarregada de educação Cristina Coelho