A BE deseja a todos uma boa Páscoa!

17 03 2013

pascoa04





A BE aconselha o filme…

17 03 2013




A BE aconselha o livro…(para leres nas férias da Páscoa)

17 03 2013

menina de ouro

Menina de Ouro é sobre os limites do AMOR. Sobre as nossas LUTAS diárias. Sobre o conflito entre os nossos DESEJOS e a realidade. Conheça Kate e Zoe. Duas mulheres brilhantes com um SONHO que apenas uma poderá realizar. Conheça também Sophie. Uma criança dotada de uma sensibilidade rara, que luta entre a VIDA e a morte. Estão unidas por um SEGREDO. Delas se exige uma ESCOLHA. No momento mais importante das suas vidas, uma delas terá de fazer o derradeiro SACRIFÍCIO. Menina de Ouro é sobre o que significa ser HUMANO, mas também sobre o que nos permite a todos, de diferentes formas, atingir o EXTRAORDINÁRIO.





5 Minutos de Leitura

15 03 2013

Sexta-feira,  15 de março de 2013

images

Tributo ao pai

Foste simples, banal,

Bom, com defeitos, jovial,

E tão pegado à vida,

Que ainda, velho, velho, a não podias crer vivida.

Viveste para as coisas deste mundo,

Que seria melhor

Se o pudesses fazer conforme o teu humor.

Não é por ser teu filho que sou triste,

Demoníaco, angélico, diferente,

Descontente, nevrótico, perverso.

Mas se algo, em mim, resiste

De humildemente humano,

Amigo de viver conforme vai

Vivendo a gente consoante o ano…

A ti o devo, pai !

A ti o devo, se nasci.

E a ti o devo, se inda não morri.

José Régio (Colheita da tarde)

Texto selecionado pela BE





ONU – Declaração Universal dos Direitos da Água

14 03 2013




5 Minutos de Leitura

14 03 2013

Quinta-feira, 14 de março de 2013

Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de Março de 1992. O dia 22 de Março, de cada ano, é destinado à discussão sobre os diversos temas relacionadas com este importante bem natural.

Porque será que a  ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) está contaminada, poluída e degradada pela acção predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objectivo principal é criar um momento de reflexão, análise, consciencialização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.
No dia 22 de Março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água”. Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.
Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não deitar lixo nos rios e lagos; economizar água nas actividades quotidianas (banho, lavagem de dentes,  de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar ideias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_mundial_da_agua.htm

Texto selecionado pela BE





5 Minutos de Leitura

12 03 2013

Quarta- feira, 13 de março de 2013

 

DELFIM~1

O Imperador Astrónomo do Brasil – “O Olhar Real em Direção ao Universo”

 

 

Como explicar tamanha devoção de D. Pedro II pela ciência do céu? Acredita-se que as primeiras noções de astronomia foram incutidas no jovem Imperador pelo litógrafo e artista francês, Louis Alexis Boulanger (1798-1874), um dos intelectuais escolhidos por seu preceptor José Bonifácio de Andrade e Silva, o “Patriarca da Independência”. Outro mestre que orientou o Imperador para a astronomia deve ter sido Frei Pedro de Santa Mariana. Desde cedo nutrindo especial interesse pelas ciências além de poliglota, adquiriu conhecimentos enciclopédicos que mais tarde, em 1877, o conduziram a sócio estrangeiro honorário da Academia de Ciências da França, uma honra alcançada por poucos. Era um intelectual por excelência e ele mesmo dizia que se não fosse Imperador gostaria de ter sido professor. Isto se traduz quando o seu observatório particular no telhado do Paço de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, recebia estudantes para observação do céu, ministrando noções básicas de astronomia e orientando no uso dos instrumentos. Em 15 de outubro de 1827 criou por decreto o Observatório Astronómico do Rio de Janeiro no Morro do Castelo que, na realidade, só começou a funcionar a partir de 1846, com o nome de Imperial Observatório. Para alguns, seria o primeiro do Hemisfério Sul, mas acontece que na torre principal do Palácio de Friburgo do conde Mauricio de Nassau, na ilha de António Vaz, próxima da ilha do Recife, Pe, Georg Markgraf construiu e inaugurou em 28 de setembro de 1639 aquele que deve ser considerado o primeiro observatório astronómico do Hemisfério Sul.

O Brasil tem pois uma tradição em Astronomia. Em 1846 foi nomeado para cuidar da organização do Imperial Observatório, o professor da Academia Militar, Eugénio Fernando Saulier de Sauve. Através de decreto, D. Pedro II deu forma ao Observatório adquirindo novos instrumentos solicitados por Saulier, após emprestar seus próprios que utilizava no Paço de São Cristóvão. Saulier de Sauve morreu em agosto de 1850. Para o suceder foi escolhido o paulista António Manoel de Mello (1802-1866), professor da Escola Militar e Tenente Coronel, que já encontrou o Observatório dotado de completo e moderno instrumental para a época. A sua primeira realização foi o início das publicações técnicas. Em 1852 já se encontravam impressas as ‘’Efemérides Astronómicas do Imperial Observatório” bem como os “Annaes Meteorológicos”. Para o cálculo das efemérides a observação dos astros era imprescindível.(…)

Foi o primeiro passo para que, no dia do aniversário do Imperador, 2 de dezembro, passássemos a celebrar o “Dia do Astrónomo”.

27 Fevereiro 2013, por Nelson Travnik @ Astronomia.Blog.Br

Texto selecionado pela BE