5 Minutos de Leitura

31 01 2013

Sexta-feira, 1 de fevereiro 2013

Madagáscar 3′ foi o mais visto em Portugal em 2012

madag

Os filmes ‘Madagáscar 3’ e ‘Balas & Bolinhos: O último capítulo’ foram os mais vistos em Portugal no ano passado, entre produções estrangeiras e portuguesas, segundo dados estatísticos do Instituto do Cinema e Audiovisual.

A animação Madagáscar 3, de Eric Darnell, Tom McGrath e Conrad Vernon, liderou as exibições cinematográficas em Portugal, com 632 069 espectadores e 3,7 milhões de euros de receita bruta de bilheteira.

Em segundo lugar figura o último capítulo da saga Crepúsculo, realizado por Bill Condon, que somou 524 944 espectadores e 2,7 milhões de euros.

O terceiro filme mais visto em Portugal em 2012 foi outra animação: A idade do gelo 4: deriva continental, de Steve Martino e Mike Thurmeier, com 507 110 espetadores e três milhões de euros de receita. Entre os filmes portugueses estreados em sala em 2012, o mais visto foi Balas & Bolinhos: O último capítulo, de Luís Ismael, com 256 158 espetadores e 1,29 milhões de euros de receita.

Abaixo deste ficou a transposição para cinema da série televisiva Morangos com Acúçar, por Hugo de Sousa, com 238 200 espetadores e 1,23 milhões de euros.

Com resultados muito distantes destas duas produções, o terceiro filme português mais visto foi O cônsul de Bordéus, de Francisco Manso e João Correa, sobre o diplomata Aristides de Sousa Mendes, com 50 919 espetadores e 254 182 euros de receita de bilheteira.

Entre os dez filmes de produção portuguesa mais vistos contam-se ainda Florbela, de Vicente Alves do Ó, Tabu, de Miguel Gomes, e Operação Outono, de Bruno de Almeida. Num ano que ficou marcado pela ausência de abertura de concursos de apoio financeiro para o cinema português, o ICA contabilizou produções referentes a concursos de anos anteriores – concluídos ou em fase de conclusão em 2012 – como as longas-metragens As linhas de Wellington, de Valeria Sarmiento, e O Gebo e a Sombra, de Manoel de Oliveira, e as curtas Blackout, de João Figueiras, e Vazante, de Pedro Flores.

A contrastar com a ausência de apoios financeiros, o cinema português somou, em 2012, mais de uma centena de prémios e menções especiais em festivais de cinema estrangeiros.

Quanto à origem genérica dos filmes estreados em sala, a balança equilibrou-se entre a Europa (129) e os EUA (138), mas nos filmes exibidos – sem ser em estreia – o velho continente supera a produção norte-americana, com 380 contra 237.

No entanto, no que toca a receitas de bilheteira, os resultados são outros: os filmes de produção norte-americana renderam em Portugal 55,1 milhões de euros, enquanto os da Europa somaram 11,4 milhões de euros.

por Lusa, publicado por João Moço16 janeiro 2013

Texto selecionado pela Professora, Cristina Fonseca

Anúncios




Trailler Madagáscar 3

31 01 2013




Prémios Nobel da Paz

31 01 2013

O Nobel da Paz é um dos cinco Prémios Nobel, legado pelo inventor da dinamite, o sueco Alfred Nobel. Os prémios de Física, Química, Fisiologia ou Medicina e Literatura são entregues anualmente em Estocolmo, sendo o Nobel da Paz atribuído em Oslo. O Comité Nobel norueguês, cujos membros são nomeados pelo Parlamento norueguês, tem a função de escolher o laureado pelo prémio, que é entregue pelo seu presidente.

Fica aqui o link para consultares os laureados com o Prémio Nobel da Paz.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nobel_da_Paz





5 Minutos de Leitura

30 01 2013

Quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

 

Frutos secos, para (bem) variar

A sua riqueza em fibras alimentares contribui para o bom funcionamento intestinal e o seu conteúdo em potássio é uma ajuda no combate à hipertensão. Devido ao seu baixo índice glicémico, são também alimentos a considerar na alimentação dos diabéticos. Se é certo que são nutricionalmente muito saudáveis, certo é também que são muito calóricos e por isso deve pensar-se em comê-los não como um suplemento depois de se ter jantado ou para além de todos os alimentos do dia, mas antes como um relevante substituto de vários alimentos. E a sua função nutricional fica satisfeita com apenas um punhado destes frutos por dia.

Para além de sua riqueza em energia ou calorias, fornecem uma dose apreciável de proteínas (mais de 20 g em 100 g de alimento) e, tal qual o azeite, ácidos gordos monoinsaturados e nenhuma gordura polinsaturada, sendo, por isso, muito importantes na prevenção de doenças cardiovasculares. Ricas em ácidos gordos Omega-3, contribuem por esse facto para melhorar processos inflamatórios como artrite reumatoide e são também apontados como benéficos em casos de depressão ou Alzheimer. São também uma boa fonte de antioxidantes, sobretudo na forma de vitamina E, minerais como cálcio, potássio, zinco, ferro, magnésio, zinco e selénio e não contêm colesterol.

Amêndoas, avelãs, nozes, pinhões, cajus, amendoins, pistácios, sementes de abóbora, de girassol, de linhaça ou de sésamo, têm propriedades comuns e são muito versáteis e práticas para transportar. Além do mais, desde que devidamente acondicionadas – guardadas preferencialmente no frigorífico, em caixas herméticas para que não rancem – são muito pouco perecíveis o que significa que podemos tê-las de reserva durante bastante tempo sem ter que as estar sempre a comprar. Podem ser comidas a meio da manhã ou à tarde em vez do tradicional leite ou iogurte com pão ou bolachas. Também podem combinar-se com frutos desidratados como figos, ameixas ou sultanas ou, às refeições, misturá-las com leguminosas – grão-de-bico, feijões, ervilhas, favas ou lentilhas, ou então em saladas, massas ou arroz, dispensando carne ou outros fornecedores de proteínas como o pescado e os ovos. Poderão também constituir uma excelente ceia, mas atenção, devem ser comidas com parcimónia e não compulsivamente, sem controlo, enquanto se vê um filme na televisão.

Nota: 20-30 g de frutos secos, 5 nozes ou uma mão fechada de pinhões, avelãs, etc., são equivalentes, em calorias, a um pão com pouco recheio.

Paula Veloso





5 Minutos de Leitura

29 01 2013

Quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

 

Dia Escolar da não-violência e da Paz – 30 de Janeiro

gandi

No dia 30 de Janeiro celebramos o Dia Escolar da Não-Violência e da Paz, uma iniciativa do poeta, pedagogo e pacifista espanhol Llorenç Vidal. Desde 1964, que a celebração deste dia pretende chamar a atenção de políticos, governantes, pais, educadores e professores que é necessária uma educação permanente pela Não-Violência e pela Paz; que é preciso educar para a solidariedade e para o respeito pelos outros, porque “Uma vez que as guerras nascem na mente dos homens, é na mente dos homens que deve edificar-se a paz”. (Preâmbulo da Constituição da UNESCO)

Porquê a escolha do dia 30 de Janeiro? A escolha da data não foi escolhida ao acaso, mas por que este foi o dia do assassinato de um dos maiores defensores da paz, da não-violência, da justiça e da tolerância entre os povos: Mahatma Gandhi.

Considerado o pai da Índia, Gandhi foi um homem de boa vontade que lutou, sem ódio, pela independência da sua pátria e pela paz do mundo.

Dentro do ideal de paz e não-violência que ele defendia, uma de suas frases foi:

“Não existe um caminho para paz! A paz é o caminho!”.

Sobre Gandhi, Albert Einstein disse que as gerações futuras teriam dificuldade em acreditar que um homem como este realmente tinha existido e caminhado sobre a Terra.

Para Gandhi, a lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.

Como não podia deixar de ser, a BE/CRE juntou-se a esta iniciativa e dá-te a conhecer através do Blog os vencedores do Prémio Nobel da Paz, homens e mulheres que repudiaram a violência e lutaram por um Mundo mais justo e mais tolerante.

Sê tu, também, um agente de paz.

Texto adaptado pela BE





Mahatma Gandhi – Biography Channel

29 01 2013




5 Minutos de Leitura

28 01 2013

Terça-feira, 29 de janeiro de 2013

transferir 

 Os mesmos motivos que tornam a pizza popular (rapidez de confeção e preço) conferem-lhe também uma conotação negativa porque é normalmente incluída no grupo da fast food inevitavelmente associada a comida pouco saudável. No entanto, se forem bem escolhidos os ingredientes, pode ser um prato nutricionalmente muito interessante.

“Pizza (também grafada piza em Portugal) é uma preparação culinária que consiste em um disco de massa fermentada de farinha de trigo, regado com molho de tomate e coberto com ingredientes variados que normalmente incluem algum tipo de queijo, carnes preparadas ou defumadas e ervas, normalmente orégãos ou manjericão, tudo assado em forno por um pizzaiolo.

A história da pizza começou com os Egípcios. Acredita-se que eles foram os primeiros a misturar farinha com água. Outros afirmam que os pioneiros são os Gregos, que faziam massas à base de farinha de trigo, arroz ou grão-de-bico e as assavam em tijolos quentes. A novidade foi parar na Etrúria, na Itália.

Ao contrário do conhecimento popular, apesar de tipicamente italiana, os Babilónios, Hebreus e Egípcios já misturavam o trigo e amido e a água para assar em fornos rústicos há mais de 5000 anos. A massa era chamada “pão de Abraão”, muito parecida com os pães árabes atuais, e recebia o nome de piscea.

Os Fenícios, três séculos antes de Cristo, costumavam acrescentar coberturas de carne e cebola ao pão; os turcos muçulmanos adotaram esse costume durante a Idade Média e por causa das Cruzadas essa prática chegou a Itália pelo porto de Nápoles, sendo em seguida incrementada dando origem à pizza que conhecemos hoje.”

 

fonte: Wikipédia (Adapt.) http://pt.wikipedia.org/wiki/Pizza