Concurso ” páginas soltas”

30 09 2011





5 Minutos de Leitura

30 09 2011

5 Minutos de Leitura

Segunda-feira,  03 de outubro de 2011

 

 

Liberdade

Ai que prazer

Não cumprir um dever,

Ter um livro para ler

E não o fazer!

Ler é maçada,

Estudar é nada.

O sol doira

Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,

Sem edição original.

E a brisa, essa,

De tão naturalmente matinal,

Como tem tempo não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.

Estudar é uma coisa em que está indistinta

A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma,

Esperar por D. Sebastião,

Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…

Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca

Só quando, em vez de criar seca.

O mais do que isto

É Jesus Cristo,

Que não sabia nada de finanças

Nem consta que tivesse biblioteca

 

Fernando Pessoa

Texto selecionado pelo professor Teodoro Fonte





Mês Internacional das Bibliotecas

30 09 2011





5 Minutos de Leitura

29 09 2011

5 Minutos de Leitura

Sexta-feira,  30 de setembro de 2011

 

 

DIA DO DIPLOMA

Decorre hoje em todas as escolas do país o Dia do Diploma. Na nossa escola este dia será comemorado com duas iniciativas. A primeira decorre no final da manhã e destina-se a todos os nossos alunos que iniciam no presente ano letivo o seu percurso escolar no ensino secundário. A segunda iniciativa consiste numa ação formal de entrega de Diplomas aos alunos que terminaram o ensino secundário no ano letivo de 2010/2011. Esta cerimónia tem como principal objetivo promover a valorização do ensino secundário, valorizar o trabalho dos alunos, dos professores e da escola. Com o objetivo de reconhecer e de valorizar o mérito, a dedicação e o esforço no trabalho e desempenho escolares, será ainda atribuído um Prémio de Mérito, instituído pelo Ministério da Educação, aos melhores alunos do ensino secundário. Neste ano letivo  irão receber este Prémio os alunos Fábio Luís Malhão Verde (cursos científico-humanísticos) e Sandra Maria Domingues Madaleno (ensino profissional).

Esta cerimónia decorre a partir das 17H00 no Auditório da nossa escola. Para além dos alunos que terminaram o ensino secundário, foram também convidados os seus encarregados de educação, professores, funcionários e alunos que queiram associar-se a esta cerimónia, que deve
assumir-se também como uma confraternização para este grupo de jovens que agora termina a sua formação secundária. Como sempre, nós vamos afirmar que não queremos que este momento seja uma despedida, mas sim um permanente “até já!”.

Texto redigido pelo professor Joaquim Félix





5 Minutos de Leitura

28 09 2011

5 Minutos de Leitura

Quinta-feira,  29 de setembro de 2011

 Quando copiar é uma fraude 

Ética no ensino e na aprendizagem

Na imprensa nacional tem-se feito eco de uma tese de doutoramento, apresentada por um docente de uma instituição de ensino superior a uma  Universidade, a qual seria cópia de uma outra, feita noutro país, por outro universitário (…)

Tem havido mesmo casos em que o candidato, envolvido num exame ou prova, se vê eliminado por o júri descobrir a trapaça, a que recorreu, tentando enganá-lo, recorrendo a apoios que os outros candidatos não possuem e apropriando-se, indevidamente, de dados dos quais não é autor. Quando a ação passa despercebida, tudo fica entre ele e a sua consciência ou a ausência dela. (…)

 É estranho que os alunos cheguem às universidades sem conhecerem claramente a dimensão ética da aprendizagem ou a relação entre o aprendente e aprendizado, tal como entre a fonte e a receção da informação e do conhecimento.

Olhada a situação do lado do docente, também se estranha que, à primeira falta de clareza dessa relação, o professor não alerte o aluno dessa falha ética, apontando-lhe os riscos que corre perante a lei.

Do lado dos princípios, há que considerar os pressupostos e as grandes linhas de ação. Entre os primeiros, tenhamos presente que não há comportamento humano, individual ou coletivo, sem uma dimensão ética a envolvê-lo. Daqui decorre que cada indivíduo deverá identificar os princípios lógicos ou a razão ética, subjacentes às suas decisões, condutas ou comportamentos.

Na constituição desse conjunto de princípios há quem tome como ideia central o dever, ou o uso da razão, que no momento de agir se transforma em dever moral. (…) Há, porém, quem escolha os princípios em função da utilidade das ações, em ordem a satisfazer o bem estar dos agentes envolvidos e da sociedade, hoje ou no futuro. Neste caso, as reservas perante um princípio advêm da dificuldade em quantificar os riscos, danos e prejuízos, ao determinar a sua aceitação ou rejeição.

 Como princípios gerais de uma ética aplicável a estudantes e professores, destacam-se os seguintes. A exigência de formação humana, inteletual e profissional deve ser timbre de qualquer escola, confrontando com ela o jovem, de qualquer idade. Por outro lado, não é possível crescer e agir humanamente sem pautar a sua vida por valores, assumidos pelo próprio e reconhecidos pela sociedade.

Num segundo patamar, situa-se a responsabilidade de aprender, pelo aluno e pela escola. Sem ela, não existem, nem esta nem aquele. A escola foi sempre uma zona franca para o espírito, um lugar amigável de encontro e descoberta do saber. Mas para isso exigem-se tolerância, abertura de espírito e respeito perante as dúvidas, as diferentes apreciações, os interesses e os ritmos de aprendizagem do outro, cujos limites se situam no dogmatismo, parcialidade, violência e falso consenso.

Por último, é indispensável a liberdade de opinião, método e pensamento. Tal atitude, a valorizar pedagogicamente, é propiciadora de soluções positivas para a resolução da maior parte dos problemas da sociedade. Todavia, a sua plen atualização tem como verso de medalha a solidariedade perante o outro e as regras aceites e sempre em reavaliação.

Correio da Educação. J. Esteves Rei Professor Catedrático de Didática das Línguas e de Comunicação, na UTAD, Vila Real

Texto selecionado pelo professor Teodoro Fonte





Nick Vujicic

28 09 2011




Museu da Língua Portuguesa…imaginem onde?!

28 09 2011